Vocábulos - Alma do Poeta: Poesia sem título

20 de out de 2011

Poesia sem título

Quis ser Adão
mas, veio Eva
e induziu-me ao pecado

Quis ser Sansão
mas, veio Dalila
e tirou-me as forças e cegando-me

Quis ser Hércules
mas, veio Djanira
inoculou-me o sangue venenoso de hydra, morri

Quis ser Anastácia
por não ceder aos senhores de engenho
silenciaram-me amordançando e acorrentando-me

Quis ser Joana D'Arc
(uma proletária em compulsão) mas,
incendiaram-me em praça pública

Fui trevas
e me deparei com parceiros:
ímpios, transgressores e escarnecedores

Fui luz (e permaneço sendo)
encontrei a paz almejada
pois me deparei com Deus e os poetas

Tive a felicidade de conhecer uma dama
esquisita no jeito de ser, porém
meiga e agradável institivamente.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Obrigado por sua presença aqui no meu espaço de poesia e alegria.