Vocábulos - Alma do Poeta: Da série poema metáforas - Roberta é uma flor

26 de out de 2011

Da série poema metáforas - Roberta é uma flor


Ela 
carrega consigo
a paciência dos monges.
Feito meditação 
é seu olhar
Ela 
é de uma calmaria afinada
a guerra ao seu lado
nenhum projétil lhe atinge
Ela 
é de uma beleza anti-sintética
não usa  batom, nem rouge, nem carmim
agora; os cabelo sim
ela têm consciência da palavra sábia
quem não quiser 
usar cabelo comprido
há de usar véu: assim diz o Senhor

Ela 
sorri 
com o dom
de quem promove alegria
 ao seu redor
- se eu conheço-a?
- só a parte exterior!
o seu interior ainda não adentrei
 só depende dela
tão bela naturalmente

Seu rosto
expressão renascentista
uma pétala solta ao vento
transitando pelos corredores
feito uma aquarela ambulante

- Se eu tenho 
alguma quedinha por ela?
isso vocês não vão saber nunca
segredos são segredos, 
devem ser guardados
a sete chave a mais 
feito um enigma indecifrável
ou feito as coisas do imaginário

- Se ela permeia meus sonhos?
também não digo
senão 
perde a graça da conquista

<<BROIS>>

Roberta este poema foi feito pra você.

4 comentários:

  1. Que a Roberta, assim, nesse relicário poética possa se perpetuar em poesia. Lindo, como sempre. Abraços.

    ResponderExcluir
  2. Pois eu quero saber onde está o comentário da Roberta...isso sim...rsrsrsr

    Abraços* Bróder

    ResponderExcluir
  3. Que ofertório em versos mais lindo meu amigo...
    Imagino a emoção da Roberta, ao ler tamanha e linda dedicação!
    Beijo com carinho meu amigo
    Bea

    ResponderExcluir

  4. Como não amar esse poema?

    ResponderExcluir

Obrigado por sua presença aqui no meu espaço de poesia e alegria.