Vocábulos - Alma do Poeta: 05/01/2012 - 06/01/2012

30 de mai de 2012

...saudades...lembranças

Sou lua, iluminando mar noturno.


- Formatação: Safira.

Série: voltada para pensamentos 03

Hoje,
trago aqui para a série de textos reflexivos,
um artigo/poema do meu amigo Radu
(Raimundo Duarte)
costumo chamá-lo de anjo-alado,
 porque ele é desses que se doa.
Uma boa leitura a todos.
..............................................................................................................................


A MATEMÁTICA DO MEU PENSAMENTO

      Após tantas reflexões, caminhadas, erros e tentativas de ser feliz e fazer os outros felizes, desscobri que a vida só pode ser compreendida olhando-se para trás, mas só pode ser vivida olhando-se para a frente.
     Olhando para trás temos que tentar superar muitas barreiras, não é fácil perdoar e esquecer quem tanto nos doamos e dedicamos, mas nunca tiveram reconhecimen-to sobre nossa pureza de intenções, "talvez elas nunca nos mereceram".
     Agente se sente  jogado fora como se fosse descartável!!!.  Ficam a experiência e as cicatrizes que de uma forma ou de outra nos deixam mais experiente e fortes.  "Muita coisa não faz sentido".  A vida não é como agente quer, mas como ela é.  Diante desta reflexão maior, passamos a superar nas marcas de uma vida vivida e olharmos novamente para frente em um eterno, frenétrico e hilariante recomeçar.
     Não sei se é o destino cigano que quer me transformar em um mutante, no fundo sempre sozinho amargando o meu próprio fel, se jogando na vida em busca de uma redenção, talvez um piloto "Kamikaze" sonhando melhores dias vindos.
     Como posso negar que minhas filhas não dependem de mim e para sempre estarão acorrentadas no meu calcanhar, talvez razão dos meus freios nesta vida de meu Deus.
     "Day after day" é assim que eu vivo, não sei se sou feliz, talvez não tenha conhecido o sentido desta palavra, mas tento passar para todos a emoção da busca deste sentimento.
     Não sou a nata do lixo nem o lixo da aldeia, sou o veneno da coragem que gira nestes imenso carrocel.

Nada vai fazer eu desisiti do amor. .................................................................

Conversões.



Congela
tua tristeza
a tua alegria
tá sem destreza

Dispensa
tua murmuração
ele incomoda
o karma da nação

Destrua
tuas menteiras
as verdades
são sempre bem-vindas

Corta
tua ignorância atroz
com uma navalha afiada
a mansidão precisa de nós

Se
encontrares
um ser faminto, alimente
e se tiver sede
dá-lhe água saciando-o

...Só assim
talvez
possamos resgatar
nossos verdadeiros valores humano;
face a prevalecência da desumanidade,
emplacada nas esquinas:
de cada rua,
cada bairro,
cada cidade,
cada país.
...................................

Sobrinho e futebol.


Um
olhar
longitudinal
às margens
do oceâno atlântico
berço de seu nascimento

Um
olhar
horizontalmente
em sintonia com o arco
que faz, o mar e o céu se encontrarem
onde nossos olhos daqui
chama-o finito

Mas,
é muito mais distante
do que a nossa vista alcança,
ao adentrar-mos oceano avante
vamos longe, para o oriente,
mas ele alçou vôo
em função da profissão,
ser jogardor é ser peregrino, e o menino se foi
deixando um lastro de saudades
onde nossos olhos ficam a procurá-lo
na certeza de que ele virá
nos fazer uma visita.

.....................................................

O nome deste menino é Luan  Alexandre, sobrinho meu
decorre que, muito jovem sentiu que seria
um profissional na bola
e os olheiros não perderam tempo
levando ele daqui, pra confins.
....................................................................................
Aceite com carinho, o poema do tio Mário Bróis.









25 de mai de 2012

Duas belezas genéticas



...Ufa...haja fôlego..

A beleza delas
não cabe na hipocrisia
das passarelas e sim na beleza
das aquarelas

Seja renascentista
seja cubista
seja impressionista;
mas elas cabem na beleza 
de todas as aquarelas
na beleza de todas as expressões 
nos pincéis do coletivo dos artistas plásticos

E eu
tentando emoldurá-las 
dentro da poesia
meu eu se converte em total alegria
me sinto nas nuvens, ao centralizar
meu olhar em duas belezas inconfundíveis
dizimando atos ilícitos, banindo a depravassão
que há no meio da multidão

Sim!...
meu eu 
neste momento 
se contorce de dor 
pela distância que nos separa
mas se estarrece de regozijos
pelo carinho que tá guardado, bem lá dentro
profundamento rasgando meus sentimentos
feito navalha estraçalhando
versos e mais versos e mais versos
mesmo assim,
não chega a se nivelar 
com essas duas belezas 
eternamente no ar
feito aroma
feito essência
perfumando a natrureza.
.................................................................

Um enlace: não pedi licença a elas
pois a emoção não permitiu, mas uma é ex-esposa, e outra é filha, Giovana, a qual não me canso de inspirar-me e dedicar-lhe poemas.  Beijos nas duas.

24 de mai de 2012

Luz além da mente


Olho sim
para os confins
dos oceanos
e vejo emergir 
seres estranhos
dotados de luminosidades
em forma de cérebros

É esta 
a luminosidade 
que ando a procura
já não a vejo há tempo
mas na cuneiformidade
que rege os planetas,
quem somos nós além 
do que pensa nossas mentes?
se luto para ultrapassar
a rotina que rege todos os movimentos
e todos os sentimentos

É esta luz
sob as cabeças
que quero para mim e para 
quem dela também precisa
é preciso de fato olhar os espelhos
egocêntricos, que nos reflete
porque é espelho
e se não fosse o espelho 
te projetando a frente 
o que seria o reflexo nos nossos eus
em tempo onde a poeira tá contaminada?
A
 nossa 
água contaminada
a nosssa mente também 
contaminou-se
e só há uma saída
busque-a.

23 de mai de 2012

Sou lua iluminando o mar noturno


Sou a lua
minguando para ti
e o sorriso se fez sol
deixando-me em pranto
pela tua ausência

Sou a lua
olhando para ti
e na alegria de encontrar-te
meu segredo virou ar
e fiquei a perambular

De continente
em continente
tentei te loclizar
pelo GPS do meu radar
...oh! que doce encanto

Nem precisei viajar
por entre a mata atlântica
meu exército foi te buscar
chegarte tão maltratada
que tive pena, mas te duidei

Cuidei de ti com todo carinho
e você de novo desapareceu
deixando-me sozinho
feito ninho sem passarinho
quiçá! poderei novamente te rastrear

...é só botar meu GPS pra funcionar,

Um olhar finito

Se
enxergo
sem o coração
meu olhar
é apenas pretenção

Se
caminho
sem observar
as pedras resistentes
não sairão do lugar

Se
abraço
por mero gesto
não tem sentido minha titude
não sou inteiro e sim resto

Entretanto
se seguir-mos o caminho
do coração
o sexto sentido
fica cheio de razão.
.............................................................
Dedicado a todos queles
que me visitam deixando seus comentários.


23 de novembro - Dia internacionall do livro
















Confesso que estou triste
porque estou desprezadome
deixam lá na estante                                              
fechado e empoeirado
sou o rei da literatura
mestre em saber e cultura
não posso ficar calado

Abro portas e janelas
para o conhecimento
deixo pessoas felizes
viajo em seus pensamentos
transmitindo informação
levando paz e emoção
amo está em movimento

Quero realizar sonhos
de adultos, jovens e crianças
dimminuir a tristeza
multipliocar esperança
dividir o amor com você
e somar fé e confiança

Mas tenho um advesário
é o tal computador
todos estão aos seus pés
da criança ao vovô
para minha decepção
está tirando a atenção
daquele que me criou

Voltar ao primeiro amor
era tudo que eu queria
está nas mãos dos leitores
seria uma grande alegria
meu m,aior objetivo
é continuar sendo livro
levando a sabedoria
Esse é meu desabafo
por essa falta de amor
as vexzes me sinto só
que nem sei mais quem eu sou
quero pedir a você
comece hoje a ler
e me d|ê mais valor

Valorize o artista
seja amante da arte
para que ele continue
espalhando em oda parte
iluminando as mentes
do oreinte ao ocidente
do planeta terra a marte.
.......................................................
um enlace: este poema é da minha prima
Vera Lúcia Barreto, lá de Cearpa-Mirim
terra de verdes canaviais, onde os engenhos
hoje, são meras lembarnças, registrado
por suas altíssimas chaminés.

21 de mai de 2012

Uma pequena homenagem

Mano,
como costumo chamá-lo
é um lusitano de brilho próprio
e raro.

Residente
em Portugal, mas muito ligado
ao Brasil, poeticamente e parceiramente;
seus poemas tem brilhos de diamantes,
seus versos são regidos por inspirações
feito pérolas, de raríssimo valor,
cobiçado pelas pessoas de fina estampa.

Pois
assim como a ostra ferida
transforma-se numa pérola
assim é o compêndio poético de sua obra,
sem precisar ser ferido, 
pura literatura que  em forma de verso
que encanta, e nos transporta para universo
de rara beleza.

 Centralizar
os olhos na poesia
de Manoel Brazão
é abrir o coração e deixar ser invadido
por emoção e mais emoção e mais emoção

............................................................................................
Mano, esta foi a melhor maneira, que encontrei para te retribuir o carinho que tens me dado tanto no seu blog, quanto  a casa da poesia, seus comentários para com meus poemas; acredito que somente a própria poesia será capaz de retribuir-te, grato por todo carisma e parceria.
.....................................................................................................
Seguinte Galera acesse ao blogger das emoções, aí vocês entenderão porque falei estas coisas para este ilustre poeta e estimável amigo.

Um momento tremendo.



Sou membro
da Casa da poesia
e escritores virtuais,
administrado por Renato Baptista
e Beatriz Prestes
entrei para esta iluminada casa
em novembro de dois mil e dez
e de lá para cá o horizonte
vem se abrindo para mim
em enciclicas de poemas e mais poemas
verdadeiro vulcão em erupção de versos
 e mais versos espalhando magmas de vocábulos
pelos quatro pontos cardeais,
lá tive a honra de conquistar amizades
de poetas do Brasil inteiro e além Brasil

Muito aprendi, em poesia
lendo todos os poetas que lá fazem morada
e ao longo do tempo fui conquistando a simpatia
destes seres iluminados.

Para meu grande orgulho,
 alegria e muita emoção
nesta ultima eleição de poeta do ano
onde na data que a casa aniversaria
eles fazem uma eleição em clima de democracia
tive a honra de ser contemplado,
quero dedicar as lágrimas de alegria que rolam
no meu rosto neste momento a todos os poetas
que em mim depositou seu voto,
fui eleito com quase unanimidade
assim se expressou o administrador e poeta
Renato Baptista, o qual divido com ele e com Beatriz Prestes
a minha alegria e minha emoção, mas não posso
em hipótese nenhuma esquecer de expressar
que teve o mover do Espírito Santo de Deus,
sim! o sobrenatural regente um poeta
agradeço imensamente a Deus
por enviar sua luz, em todas as inspirações que tive
quero encerrar este enredo
fechando com uma expressão do Mano Brown (Os Racionais):
"o verdadeiro poeta é aquele 
que pega na caneta 
e deixa Deus escrever". 




Olá caros poetas,
 leitores e seguidores.
Faço do meu blog,
 uma  democracia voltada para a literatura;
neste sentido o espaço está aberto a quem queira
colaborar, e quem abre esta seção
que chamarei-a de
Série voltada para pensamentos e reflexões, é Luan Lima
chamamo-nos de primos, porque na verdade
 consanguinamente sua mãe, Lígia Pereira, é minha prima legítima,
uma pessoa linda e maravilhosa, de coração gigante
feito nossa Senhora,
desde pequenos temos uma ótima amizade.

O Luan Lima vai colaborar
com seus pensamentos abaixo,
espero que todos leiam e façam suas próprias reflexões.



..............................................................................................................

Pensamento 01


A felicidade
é um estágio emocional
pessoal e individual
então
não existe um significado comum  a todos
pois
o meu modo de ser feliz
pode diferir do seu
.......................................................



Pensamento 02


Ao praticar
qualquer ato
pratique-o com vontade,
salvo o contráro
não terá o mesmo empenho
se vontade tivesse
....................................................




imagens
que não precisa de texto.
A África clama por água,
estes jovens tão sugando lama
para não morrerem de sede,
uma triste realidade conjuntural;
confesso que chorei quando vi esta fatalidade.