Vocábulos - Alma do Poeta: 09/01/2012 - 10/01/2012

24 de set de 2012

 
Moro
dentro da beleza
dela, que mora no universo
de uma amizade a caminho da comunhão.
Seus olhar é brilho, é lume e adversão, a arte da versão.
 
Moro
fora dos seus quereres
porque nem sei dos meus nem dos seus;
feito pássaro liberto, na amplidão do universo em pauta
do seu rosto faço um verso: "belo e em paz" do seu sorriso desfaço
a guerra dos animais, que não nada oferecem mais, a ser não ser máscaras.
 
Moro
no próspecto
que a gerou, (e como)
feito uma admiração, sim!
Quem não tem pátria é expatriado, moro num jardim
dentro de mim que tem o coração alado, nada consegue ficar parado.
 
Adoro
movimento
o estático me destrói
e pela foto se percebe, a beleza
de um universo feminino, que eu fico rindo
feito um menino, feito uma contemplação, enfim emoção.