Vocábulos - Alma do Poeta: Essência (feito Nardo)

20 de out de 2011

Essência (feito Nardo)


////////////////////////////////////////////////////@/////////////////////////////////////
                                        "Ando em meio às flores
                                                sonhando livre na floresta
                                                         segregando amores com pétalas
                                                                   fazendo do vento a orquestra"
//////////////////////////////////////////@//////////////////////////////////////////////////////////////////////

- Que lindo né, - autor: Ana Carvalho - uma pequena homenagem
...............................................................................................................................................

                        Das
                        rosas
                        quero a essências
                        dos seus
                        sedutores perfume


        Das
        flores, suas
        exóticas fragrâncias
        para transformar-me  
        num conquistador

                         Do
                         desejo
                         o próprio desejo
                         para
                         nunca
                         ser
                         um eunuco

        Da
        cobiça
        a posse
        do neofastismo  
        e as algemas
        da abominação

                          Da
                          águia, a opção
                          de renascer
                          antes
                          da própria morte

        Do
        meu eu
        quero o eu
        dos ordeiros
        dos pródigos

                           Do
                           eu
                           dos outros
                           quero meu eu
                           em Vigotski (pensador pedagógico)
                           quero meu eu
                           em Emília Ferreira (exímia pedagoga)

        Do
        sossego
        o descanso, a calma
        e a tranqüilidade incessante
        ao lado
        duma mina d'água
        ...fluindo...minando...germinando.

Mário Bróis

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Obrigado por sua presença aqui no meu espaço de poesia e alegria.