Vocábulos - Alma do Poeta: Da série: poemas missivos (V carta)

20 de out de 2011

Da série: poemas missivos (V carta)




Ao filho Léo
parceiro e amigo
<>>><>>><>>>  

Quando nasceste
sussurrei
em teu ouvido:
"Aquele que queira
trilhar os caminhos
do Supremo
terá que ser feito criança"

E tu
repiraste
as primeiras moléculas
de oxigênio
contido no ar atmosférico

Depois
coloquei o teu rosto
fente a frente com o meu
e sussurrei mais uma vez
(olhando dentro do teus olhos):
- oh filho meu!!!!!!
encanto dos meus encantos
observa o mundo que te espera
e você girou a cabeça
para a esquerda
esquecendo do meu olhar
em seguida girou para a direita
contemplando a paisagem
que nos cercava
posteriormente
voltamos a fixar nossos olhares
e você me deu alegria
ao sorrir para mim
neste instante pude perceber
que concebeste o mundo que te apresentei

Deduzi
então
que fora um momento
em que a felicidade nos visitou
e lavrou nosso elo de intimidade
pelo tamanho sorriso
um sorriso de quem alimenta sonhos

Do
sorriso vem a alegria
dos sonhos
vem a esperança que nunca morre

Filho meu !!!!!!
delírio dos meus encantos
encanto dos meus delírios
quando cresceres
continua a sorrir
assim sendo a alegria
habitará em tu
feito sol
feito luz
feito mar
feito lua.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Obrigado por sua presença aqui no meu espaço de poesia e alegria.