Vocábulos - Alma do Poeta: Estação de flores e rosas (feito primavera)

20 de out de 2011

Estação de flores e rosas (feito primavera)


<><><><><><><><><><><><><><><><><><><><><><><>/em>><><><><><>/strong>><>

- Este poema é dedicado carinhosamente e intuitivamente a Irene Duarte, nossa Emília Ferreiro, pelo carinho que ela nos reserva a todo instante, feito sentinela de uma corte constituida de vocábulos consonantais.  Compus estes versos após uma leitura de seu poema: MInha cor preferida. 


<><><><><><><><><><><><><><><><><><><><><><><><><><><><><><><>

No inverno
   as plantas
      estão ociosas

Na primavera
   as plantas voltam
      a crescer, crescer, crescer...

No verão
    crescem até
       o ponto máximo

No outono
   elas liberam
        suas folhas

E tudo se torna amarelo
feito propagação de ouro


Das
estaçôes do ano
que ocorre entre a terra
e o plano orbital
a primavera é a que
mais se destaca;
ela é que faz a natureza sorrir

Com
as mudanças
das folhas no outono
as ruas e avenidas e residências
se tornam verdadeiros
colorido caleidoscópico
uma espécie de nultiplicação
de arco-iris, projetados a se espelhar
sofre a face asfáltica e terrrena
o outono passa a bola
para a primavera , numa harmonia
que nem entre humanos existe

E
essa renovação de folhas
representa nova vida,
vidas novas, mudanças
é a fase do ano, que devemos
sonhar com a esperança
ou deixar imperar
a esperança pelos sonhos

Ai, sim
há de aflorar
o guerreiro
que estava enfurnado
por causa do frio do inverno

Desenfurnado
ele tem sede de lutar
a batalha é grande
pra quem quer vencer


Por falar
em guerreiro
quero exaltar neste instante
o maior de todos entre todos
chama-se Jesus Cristo
o maior da história da humanidade

Fez uma tremenda revolução
com palavras, palavras sábias
direcionada pelo Supremo
Ele está vivo e ativo , em nossas memórias
e realizando prodígios entre as nações

Seus ideais
alimentam nossas inteligências
de sapaiências
Ele foi Deus entre nós
a provar para a humanidade
que podemos viver
sem nos deixar contaminhar
pelos desejos carnais

Quando realizava curas
e expulsava demônios
em corpos possessos
pedia sigilo, face a humildade
a ele impetrada
demagogia não era com ele
costuma dizer: "O perdão
é um leque, que abre-te
aproximando-te do Supremo
Ele só perdoa a nós, se tivermos
livres de qualquer rancor

E eis que a luz do
seu espírito fala em bradar-te
e alto-som:  "a humanidade é hipócrita
                         porque, em sua maioria
                         deixa de obedecer aos preceitos do bem
                         exaltado por Deus
                         pra entrar na contra-mão
                         promovedno violências e maldades

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Obrigado por sua presença aqui no meu espaço de poesia e alegria.