Vocábulos - Alma do Poeta: Poema Vaga-Lume

20 de out de 2011

Poema Vaga-Lume

- Induzido pelo embalo da poesia/canção de Alceu Valença e Carlos Pena (sino de ouro)

Hoje
eu queria
fazer um poema
com restos de versos
que eu nunca faço

Hoje
eu queria
fazer um poema
transformando o oceano
num imenso aquário

Cada cardume representando
um poema de Marilândia Rollo
onde cada verso é um tesouro

No aquário
um leão marinho
simbolo da poesia
de Márcia Vilarinho

Hoje
eu queria
fazer um poema
feito estilhaço
na propagação dos fragmentos
versos e mais versos sobre o asfalto
onde cada leitor ganhará um abraço

Hoje
eu queria
fazer um poema
feito besouro
um vaga-lume onde
cada cintilar de luz
representa o clarão
o lumiar
a incandescência
da luminosidade das poesias de Bea

Enfim
queria fazer um poema
feito chuva, que ao cair na terra
cada gotícula, há de adubar
as mentes criativas de poetas
como Alceu Valença e Carlos Pena
e pra eles daria um sino de ouro.

-Não tem jeito, mais uma inspiração que sobressai-se os poetas da cssa da poesia; não foi por querer e sim por prazer.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Obrigado por sua presença aqui no meu espaço de poesia e alegria.