Vocábulos - Alma do Poeta: O degustador de vocábulos

20 de out de 2011

O degustador de vocábulos

"De uma certa feita, ao pegar num dicionário (o qual sou companheiro intransfeŕivel), um desalentado disse: - vai consultar o pai dos burros, heim!.  Eu falei: quem é o melhor amigo do homem? a resposta imediata: - o cachorro!, eu disse - troque por um dicionário. Daí compus este poema:

Este hábito
me é voraz
de no dicioonário
ler pra frente
e ler prá trás

Este costume
me persegue
onde quer que eu for
comigo ele vai
como se fosse um louvor

Ao longo
do iluminado tempo
tenho acumulado
vasto entendimento
dos vocábulos que tenho olhado

Nada tira-me da ótica
(seja lusco ou seja fusco)
do apego que tenho a ti
meu querido dicionário

Amigo melhor
que o rotulado cachorro
disso não abro mão
para mim é um orgulho
o dicionário ser meu irmão

Pejorativamente tachado
de pai dos burros
eis uma grande blasfêmia
sábio é quem o usa
seja macho ou seja fêmea

Assim somo a poesia
ele também frequenta
birô de menestréis
prateleira de sebos
e escrivaninha de bacharéis

- Ufa! ai de mim, que alegria
se fosse eu um Aurélio
para o mundo percorrer
e atodos que me consulte
correto poder escrever.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Obrigado por sua presença aqui no meu espaço de poesia e alegria.