Vocábulos - Alma do Poeta: O cais e minha sede de mar.

20 de out de 2011

O cais e minha sede de mar.

"É assim a vida...
                Repleta de sonhos e pesadelo
                  E depois, em pleno ar deságuam
                   como se fosse água
                    e evaporam rapidamente"(RenatoBaptista)


Como marinheiro
abondonado num cais
meu corpo se perde no mar
e se acha no espelho das águas

Na profundeza aquifera
do mananciasl sem dimensão
hora estou imerso
hora estou submerso

Na minha agonia desorientada
deparo-me com algo inusitado:
um dos doze
deuses grego do Olimpo

Ele percorria
a superfície das águas
numa carruagem de ouro
conduzida por cavalos velozes

Seu nome: "Poseidon"
deus das águas
tinha poder sob
as tempestades e os ventos
garantia a segurança dos marinheiro
(perdidos ou achados nos cais)

Passei a contemplá-lo e reverencia-lo

Eu estva ali
para fomentar meu desejo
de conhecer o triangulo das bermudas
situado no mar do sargasso
região onde encontrei poseidon

De minha parceria com ele
driblei a solidão instaurada
do mirante e infinito mar

Porém quando toquei na ideia
de visitar o tal triangulo
esse deus despareu efemeramente
e não o vi mais.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Obrigado por sua presença aqui no meu espaço de poesia e alegria.