Vocábulos - Alma do Poeta: Madrugada e atabaques

20 de out de 2011

Madrugada e atabaques

...É madrugada
e o silêncio,
que a caracteriza
peculiarmente
massageia minha mente
deixando-me leve, sorrateiro e
com os ouvidos aguçados

...É madrugada
e eu me transponho
me empresto ao universo
quero fazer parte desta constelação estelar
que meus olhos ávidos, alcança
brilho como uma estrela
a inserir-me nesta galaxia
de silêncio e som

Ao longe,
escuto tambores percussivos
e um canto de vozes
embaladas por um coro
cada vez mais dançante
no ritmado dos atabaques
e é um canto que vai girando
vai girando, vai girando, vai girando
escuto gritos de exaltação:
eparrê, iiiiita...escuto batido forte de pés
vejo braços em movimentos acelerados

...Será que os deuses da magia
tem uma mensagem para os poetas?
que seja de otimização
aliás, poeta já é ótimo por natureza
então que seja uma benção
para que possamos testemunhar
a posteridade das raças; mesclada a alegria
feito num terreiro cantoria.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Obrigado por sua presença aqui no meu espaço de poesia e alegria.