Vocábulos - Alma do Poeta: encantos d'um eremita/por uma ninfêta valquíria. (continuação do romance)

20 de out de 2011

encantos d'um eremita/por uma ninfêta valquíria. (continuação do romance)

- Quero fazer uma dedicação mais que especial, para a nobre poetiza mãe, Márcia Vilarinho, e estender a dedicatória para Marilândia e Manuela Vieira, com todo carinho humano.  

     TOMO V - Filho e anjos.

Nefron, ao chegar no mosteiro
teve uma má notícia: expulsão
ordem viera do pontífice (Papa).
Cabisbaixo e pensativo, reflete:

Só há uma saída; para casa
como fora filho (único)exemplar
os pais recebera com sorrisos
o primogênito voltara ao lar

Nefron, depois de sentar poeira
organizar suas coisas; planejou
fazer faculdade de empresariado
se especializar em economia

Nerfênia, não saía-lhe da cabeça
...pensou ...pensou ...pensou
enfim, tomou uma decisão sábia
nas férias viajaria para Califórnia

E assim sucedeu, vôo a vista
passaporte na mão, apetrechos
o ex-eremita teve a poeculiaridade
de transportar pequena luneta

A se fixar no deserto de Sonora
não demorou, barulho de cavalaria
poeira levantando nuvens escuras
barulho se tornando mais intenso

Pôs sua luneta em prática
feito lunático observador
não para seu grande espanto
porém para sua alegria, vira

Com olho por entre lentes
ficou extasiado ao observar
que havia um adolescente, linda
com uma criancinha a tira-colo

Nefron não teve  dúvidas que
era Nerfênia; e o filho seu
o economista ficou tão perplexo
que as mãos tremiam de emoção

Não demorou em a luneta cair
e em vez de apanhá-la, correu
ao encontro do grupo de ciganas
Nerfen empunhou duma espada

E ao se posicionar como líder
disse: - de onde vem esse estranho
e o que deseja em interferirmos
nós somos da paz mas, guwerreamos

Num instante, se destaca
um lindo corcel, cavalo finesa
transportava Nerfênia e filho
- mamãe ! não toque em Nefron

Ele é o pai de Nefro, seu neto
tenho certeza que veio até aqui
em minha procura, deixe-me
apresentar-lhe nosso filhinho

E a avó num ato de coesão reuniu
todas as outras ciganas, em círculo
entoaram uma espécie de louvor
misturado com mantra, suaves vozes

Em um determinado instante
a criança foi tomada por uma
luminosidade não comum
aos nossos olhos materiais

Então a avó expressou: é hora
de apresentar o filho ao pai
o anjo-de-guarda tá com ele
Nefro deu um sorriso no ar

Incisivamente, todos pararam
para ouvir um coro de vozes
vindo do céu, era os anjos de luz
arcanjos liderado por Miguel (Guerreiro)

...Olha, leitor, não sei como expressar
através de vocábulos, a emoção exacerbada
que Nefron teve ao tocar seu filhinho
naquele eterno, eterno momento delirante

Óbvio, mais que óbvio e certeza
este momento se erternizará para
sempre na memória de Nefron
ele ficou simplesmente encantado. 

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Obrigado por sua presença aqui no meu espaço de poesia e alegria.