Vocábulos - Alma do Poeta: Da série: Poemas missivos. Primeira carta: "dos encantos da paixão" - O poeta busca sempre a alma do infinito. (citação de Ana Maraia Baiana)

20 de out de 2011

Da série: Poemas missivos. Primeira carta: "dos encantos da paixão" - O poeta busca sempre a alma do infinito. (citação de Ana Maraia Baiana)

É merecedor que exista a paquera
ela representa o prelúdio da paixão.
Mágico merecem ser chamado nossos olhos
(ai de nós se não fossem eles - o criador fora perfeito
em nos presentear com a vista)
senão não existiria a paquera.

Quando coloquei meu olhar
no único amor que tive na vida
(até o presente momento)
- sabe aquela coisa intensa, mística
aquela emoção, onde não há palavras
que simbolize um conceito
onde não há vocábulo que supra a emoção.
- gente! eu comparo a paquera
a uma criança recém-nascida
louca, ávida , para dar a primeira mamada
buscando o peito pelo faro
sabe aquela nescessidade
misturda a ensiedade; é isso mesmo.

É fundmental também colocar
que o segredo está no flerte
é aí onde Deus manifesta sua existência
inoculando-nos a capacidade de entre pares
de olhos que se cruzam
numa espécie de busca incessante
a desatar e destacar a alma gêmea
em meio a multidão, sim, em meio a multidão
muitas vezes o flerte acontece em meio
a uma plateia de circo, ou um estado de futebol
ou ainda num parque de diversões
(que nunca vai deixar de existir)
é nesse cruzar de olhares
que apaixão começa a contecer.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Obrigado por sua presença aqui no meu espaço de poesia e alegria.