Vocábulos - Alma do Poeta: Amor e fenômeno sobrenatrural

20 de out de 2011

Amor e fenômeno sobrenatrural

Em exaltação ao dia da poesia

- Seu desastrado!
- o que foi?
- não vês, molhastes de chá
  a carta de meu amor secreto?
- não derramei por querer
  foi pequeno lapso.
- E agora como vou ler
  as palavras de conforto do meu amor?
- enfim qual foi a dela?
- disse-me que ia ao Japão
  ajudar nos resgates a vidas
- e ela é tão complacente assim?
- ora, não percebestes ao longo do convívio
  que lidas com um ser de coração dividido
  entre ela e os oprimidos, os nescessitados?
- meu amor secreto me deixou na saudade
  por uma justa causa.
- Ah! peraí, tem trexchos que dá prá ler:

"Quando do próximo eclipse
eu ainda não tiver retornado
não se desespere se os lobos uivarem
transloucadamente atrapalhando
o silêncio inextricável das madrugadas

sou eu interlocutando-me neles
para dar sinal de vida

Se não ocorrer esse fato
fique atento a pasagem do NIBIRU
ele irá abalar as constelações
mas não a mim nem a você

para que eu não possa
te esquecer; nem você a mim

Não permita que quiromente algum
leia os traços de suas mãos
eles podem te iludir
com conversas desconexas

Se por acaso eu for afetada
por um desses fenômenos
sobrenaturais asiático
uma borboleta irá aparecer na lua

manifestando a minha liberdade
para o além.  Beijos, desejo retornar
em breve meu querido poeta Bróis.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Obrigado por sua presença aqui no meu espaço de poesia e alegria.