Vocábulos - Alma do Poeta: Pequeno enredo (para um coração desmanchado em poesia)

20 de out de 2011

Pequeno enredo (para um coração desmanchado em poesia)


Se
um dia eu me perder
nos escritos 
revelados
pelos pergaminhos da pré-história
serei uma pequena partícula
nas sociedades sumárias

Porém
se isto não acontecer
(e eu perdurar-me)
aí sim
digo que estou presente
em todas as guerras
(menos a das estrelas)
não falo as estrelas de holyood
estrêlas falsas,
falo as estrêls do firmamento
que em noites
de lua cheia
me dá a beleza de concentrar
minha visão para o céu

Escapei
de todas as guerras
não por uma questão
de reencarnações
mas sim, por me sentir útil
para a poesia
e dela ser um suporte
pra transgredir todas as maléfias
que tentou dizimar o humano
feito Hitler
feito Stalin
feito a inquisição
feito a falta de paixão
sim! isto  tudo
para trazer uma mensagem
de confortto e de carisma
e esta palavra se chama SILIDARIEDADE

Deus diz:
- E eis que no dia
do juizo final, uma grande fila
se formará a direita do meu trono
e outra a esquerda, e vos Direi:
para voces que na hora da fome
me alimentou
para você que na hora da sede
me deu água
e na hora do sono
me deu dormida
terão vida eterna
e praq'ueles que nada contribuiram
desta forma
irão para o oposto
suas vidas já estão condenadas

- Leitor, caro amigo,
desculpe o exagero de vocábulos
mas, sabe onde os poetas estarão?
Ao lado direito de Deus, formando
um cordão, onde o céu sorrirá em demasia.
"mesmo pra quem não tem fé
ela acostuma acompanhar - G.Gil"

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Obrigado por sua presença aqui no meu espaço de poesia e alegria.