Vocábulos - Alma do Poeta: Armagedom (o grande dia)

20 de out de 2011

Armagedom (o grande dia)

"às vezes
me abate fortemente
aquela tremenda vontade
de sair, ir embora de si mesmo
talvez sem malas na mão
sem palavras se despedindo"
(extraido do poema na hora de
ir - Beatriz Prestes)

Eia oxalá
que venha a nós
o Rei de Judá

E que minhas palavras
extraia o veneno dos répteis
mas deixe de encalço
sua agilidade escorregadia
para q'ueu possa deslizar
nesta vida vadia: às vezes malvada
às vezes fria

Eia oxalá
que venha a nós Yemanjá

E que meus vocábulos
extraia o ferrão das abelhas
mas deixe seu doce mel
para abastecer as bocas
dos que que gritam escancaradamente
por fome

Eia oxalá
que venha a nós Logunedé
protegendo a oceania
do litoral potiguar
aos mares da Bahia

Que meus escritos venham arrancar
o rancor dos oprimidos
e banir a autoridade dos invencíceis
se instaurando entre irmãos
uma tremenda e eterna comunhão

Ò Senhor Deus (único e ativo)
expulsa de nós a burrice
da sabedoria capital
e que venha in breve o juízo final
para afinal estabelecer-se a almejada paz
e o equilíbrio humano de igualdade

Aí sim veremos as promessas se cumprirem
casas com muro de jaspe e ruas
de ouro e cristal.

Dedicado a Renato Baptista
pelo seu coração coletivo
de aglutinar os poetas.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Obrigado por sua presença aqui no meu espaço de poesia e alegria.