Vocábulos - Alma do Poeta: Uma declaração de amor explícita

31 de jan de 2012

Uma declaração de amor explícita


Há uma poetisa
por nome de Luciene Prado
que, entre as constelações de poetas
que habita no planeta 
ela na caneta verseja
e como verseja.
.....................................................................................

Quisera eu
ser um kiromante,
para que dos traços da linhas
de duas poéticas mãos,
eu poder desvendar 
todos os mistérios 
do teu destino, mas a poetisa 
que habita em ti
feito dinastia de impérios medievais
transformando-te em embaixatriz 
dos vocábulos;
não me deixa

Quisera eu,
ser místico e exotérico;
para remover tua sapiência
e destruir tua demência
de querer rejeitar a poesia;
tua alma sofre por tua matéria
mas teu espírito, regozija
porque há de reinar por eternidade 
e eternidades a mais
essa menina sapeca que faz da poesia
uma sabedoria, uma oligarquia

Quisera eu
estar em todas as revoluções 
contra ti;
e eu feito um mestre num olhar
como samurais, e mais samurais, e mais samurais
destruir todas elas, em evolução;
pra ficar com teu poema
feito canção.
....................................................
...Bróis...

-esta poetisa merece uma visita:
poemas tecidos - poemastecidosblogspot.com;
recanto das letras e páginas na internet.




3 comentários:

  1. Lindo demais isso, mestre dos vocábulos!

    Eu continuo achando que a poesia me estraga. Eu tento lutar contra, mas ela vem e me domina. O resultado são poemas, entre tantos, medíocres (aqueles poemas de que me envergonho... rs) a poemas que não são minha cara.

    Meu outro comentário estava melhor, mas o perdi por não estar logada.

    Muito obrigada, Mestre.

    ResponderExcluir
  2. - só um complemento; a imagem do poema eu que desenhei para capa do meu livro "o degustador de vocábulos" terá um adedicação. ...Bróis...

    ResponderExcluir
  3. sempre intenso em teus escritos..
    linda homenagem e vou lá conhecer sim...
    beijos aos dois.

    ResponderExcluir

Obrigado por sua presença aqui no meu espaço de poesia e alegria.