Vocábulos - Alma do Poeta: ´Vento banindo o amor

10 de jan de 2012

´Vento banindo o amor

E
se
os ventos
banalizarem
o nosso amor
soprando-os
 longincuamentes

que será
de nossas mentes?

E
se
o tempo
abandonar
nossas idades
terceirizando-as

que
será
dos nossos braços
em mil abraços
abraçados sempre
junto ao mar

o
futuro
do tempo
é nossa velhice
mas, os desejos
não têm idade

entretanto
os ventos teimam
em nos separar,
que revolta é esta?

ventos
contra o amor

já nem sei onde ela onda
senão ia  por lá






Um comentário:

  1. O tempo ora é aliado, ora é um inimigo necessário. E embora assanhe nossos cabelos, o vento é pura necessidade. E como o vento, o futuro vêm e nos arrastam, assim a poesia de Luiz Mário da Costa vem e nos arrebata pra si. Excelente poesia, menino!

    Abraços.

    ResponderExcluir

Obrigado por sua presença aqui no meu espaço de poesia e alegria.