Vocábulos - Alma do Poeta: Bróis e Tarzan

28 de mar de 2012

Bróis e Tarzan



Sou
o que falta
na desilusão 

Sou
o que sobra 
na ilusão

No 
feiche de luz,
há ótica

Em
mim, há visão
no meio do turbilhão

De
gentes
degeneradas
mas, também de ordeiros

De 
marginais
mas, também de gentlemans

De
loucos, como eu;
por poesias

Sou 
o motivo
de todas as alegrias

Sou
o sangue
ds artérias em festa

Sou
o grito de tarzan
no meio da floresta

Sou
o que falta
na sobra

Mas, na curva do destino
nada sou nem quero ser
a não ser, um eterno menino
sempre e semrpe sorrindo.





4 comentários:

  1. Mario querido amigo, que saudades, já estou aqui algum tempo apreciando seus poemas. Adorei este título "Brois & Tarzan" só vc mesmo. Mas saiba que
    você é tudo e não só a sobra. Cada comentário seu é uma alma que se orgulha. Você é muito sincero e isto qualquer um percebe.
    Um gde. abraço fraterno,
    Beki

    ResponderExcluir
  2. De resto, somos e queremos ser eternas crianças, não importando o que a vida nos imponha. Bonitos versos. Abraços carinhosos desta sua amiga, Suzana.

    ResponderExcluir
  3. - Bekin Bassa, um sorriso que resplandece no orvalho de cada manhã. Fico imensamente feliz com tua presença aqui,dignifando poesia e poeta, e nesta rota intineranta e adversa, a vida nos fez poeta e nos uniu poeticamente. Beijos de amizade; vou fazer uma visita a seu blog, ele é como a ilminação onde o arco-iris se perde em cores e se acha nos teus vocábbulos. Grato.

    ResponderExcluir
  4. - Suzana, de coração, vc já faz parte deste blog, pela presença sempre e sempre trazendo palavras de encorajamento, e encantando-me com sua simpatia. Grato.

    ResponderExcluir

Obrigado por sua presença aqui no meu espaço de poesia e alegria.