Vocábulos - Alma do Poeta: ...e agora?

10 de fev de 2012

...e agora?

Fujo,
mas, não de mim mesmo
senão, seria eu covarde

Fujo
não para esconder-me 
na própria sombra

E sim,
da vioência, que invadiu
os grande centros urbanos,
e pequenos também,
nos confinando; feito pássaros em gaiolas.

São
atrocidades,
que nos torturam por dentro
imperando feito revolução civil,
amedrontando-nos
deixando a sociedade
em polvorosa situação

Perdemos o senso
de patritismo, manchamos de sangue 
nossa bandeira, verde, azul de anil
de um lado tráfico, envolvendo:
trficantes, policiais e justiça
e a sociedade delimitada 
em seu espaço, sofre as depressões 
do porvir.

8 comentários:

  1. Que bom ver o Mestre dos Vocábulos cheio de inspirações e as dividindo conosco. Excelente poesia social.

    Abraços.

    ResponderExcluir
  2. O tal blog de que lhe falei é prosastecidas.blogspot.com.

    Abraços.

    ResponderExcluir
  3. - ôba, ôba, linda amiga, sempre colaborando,para o brilho desta págian. Grato - BA - Vitória da conquista.

    ResponderExcluir
  4. Este comentário foi removido pelo autor.

    ResponderExcluir
  5. De uma época em que as crianças ainda tinham respeito a hora do hino nacional nas escolas.
    Boa noite, amigo poeta.

    ResponderExcluir
  6. Olá Mário, errei e voltei...rs
    É verdade,também fujo! Vivo atrás das grades...
    Abraço, Irene
    Meus blogs:
    Tudo Verdade - Iduarth
    Iduarth - VestíAzul

    ResponderExcluir
  7. Boa tarde Mário! E quem não foge poeta, e quem não tem saudade daquela liberdade de antes, hj somos presos e eles, os mal feitores com direito de ir e vir .
    Parabéns pelo conciso versejar bem como o lindo blog!!
    Se puder visite meu humilde blog.
    htttp://umaparaibana.blogspot.com

    Abçs de Paz!

    ResponderExcluir
  8. parabéns professor , gostei muito dos teus versos

    ResponderExcluir

Obrigado por sua presença aqui no meu espaço de poesia e alegria.