Vocábulos - Alma do Poeta: No alto da montanha

17 de abr de 2012

No alto da montanha


Moro
numa torre
no alto
de uma montanha
de lá
longitudinalmente
posso ver com minha luneta
todas as revoluções
todas as guerras
e fico imune, e não transgrido,
mas guardo comigo revoltado
as atitudes daqueles que são covardes
(seres abomináveis)

Do
alto
da minha torre
 descobri que as nações
estão degladiando-se entre si
por ganâncias e vaidades exacerbadas

Se
alguém
me perguntar
pelo contato humano
mostrarei o computador
num é assim a atualidade
somos insrumentos maior do virtualismo.
Porém, tenho visitas especiais:
das águias e algumas aves de rapina,
já sei como conquistar
a amizade destas aves portentosas.

Outro dia
fiz uma cobertura
para evitar que os granizos das chuvas
não atrapalhassem minha meditação,
mas veio uma águia e ajeitou seu ninho lá,
me mantive à distância, ganhei sua confiança
hoje ela se alimenta comigo
numa mesa improvisada de fibra ótica

Confesso
que pelo fato do ar
não ser poluido
me alimento mais de oxigênio
que mel e gafanhotos.

Quando
acordei, deste sonho
tava meu pombo deitado comigo na rede
criei-o solto dentro do apartamento
é minha compainha de primeira mão
inclusive ela tá merecendo um poema
o qual ainda não fiz

....Bróis....



2 comentários:

  1. Pena ser apenas um sonho, pois garanto que viver no alto de uma montanha e tendo o convívio dos animais, seria bem melhor que aguentar certos humanos que se acham dono do mundo. Belo poema, amigo Bróis. Abraços. Suzana.

    ResponderExcluir
  2. - Estimada poeta Suzana, fico extremamente feliz por sua participação assídua aqui no meu blog, isso faz com que meu ânimo de poeta se multiple em veros e prosas. Grato pelo comentário.

    ResponderExcluir

Obrigado por sua presença aqui no meu espaço de poesia e alegria.